Buscar

5 Estratégias para prevenir a Síndrome de Burnout



A Síndrome de Burnout (também conhecida como Síndrome do Esgotamento Profissional) é caracterizada pelo esgotamento resultante do estresse excessivo e

prolongado no local de trabalho e se caracteriza por três dimensões: sentimentos de exaustão ou falta de energia; distanciamento emocional e sentimentos de negativismo relacionados ao trabalho; diminuição da efetividade e desempenho no trabalho.

Muitas pessoas acometidas pelo Burnout costumavam ser extremamente comprometidas e engajadas. Quando surge o Burnout, a pessoa deixa de se sentir conectada àquilo que realiza, como se o trabalho perdesse o sentido. As pessoas que desenvolvem esta síndrome podem se sentir não realizadas profissionalmente, incompetentes e perder a motivação.

Dentre os fatores no local de trabalho que são reconhecidos como estressores importantes e preditores precoces de Burnout, segundo Maslach & Leiter, 2008, são:

  • Exigências de trabalho que excedem os limites humanos.

  • Conflito de papéis – pressão de várias demandas, muitas vezes incompatíveis.

  • Recompensa insuficiente e falta de reconhecimento pelo trabalho executado.

  • Falta de apoio do gestor ou da equipe.

  • Demandas excessivas de trabalho e injustiça no trabalho.

A prevenção da Síndrome do Burnout é complexa e não deve ser encarada como responsabilidade única dos indivíduos. O ideal é que se tenham estratégias organizacionais, estratégias individuais focadas nas respostas pessoais ao estresse e estratégias combinadas centradas na interação do contexto ocupacional com o indivíduo.

Do ponto de vista pessoal, há algumas coisas que você pode fazer:

  1. Identifique o que gera estresse no seu trabalho ou empresa, como você tem lidado com isso e o que pode fazer diferente, se necessário.

  2. Aprenda a lidar com o estresse e desenvolva a resiliência – otimize competências e habilidades para lidar com situações estressantes no trabalho como inteligência emocional, capacidade de negociação e construção de bons relacionamentos com os colegas. A ajuda de um psicólogo pode ser muito bem vinda.

  3. Desenvolva ações de autocuidado como pausas no trabalho, se exercitar, ter boa alimentação, praticar meditação, descansar e realizar atividades prazerosas – é nestes momentos que o nosso corpo e mente se fortalecem e se recuperam do estresse diário;

  4. Negocie prioridades, prazos, metas e delegue tarefas – procure construir com os seus pares e superiores uma relação de confiança, comunicação transparente e apoio mútuo;

  5. Gerencie o tempo e respeite os seus limites. Distribua as atividades diárias de forma compatível com a sua realidade, levando em consideração não somente as atividades relativas ao trabalho, mas também as dedicadas às questões pessoais e de lazer. Se você está em Home office, coloque limite de horário.

Comprometimento com o trabalho não deve ser confundido com ficar focado 100% e colocá-lo no centro da sua vida. O equilíbrio dinâmico entre todas as áreas da vida é o que permite nos mantermos saudáveis e produtivos de forma sustentável.

FONTE:

0 comentário