Buscar

Cirurgia oncológica segura com o tratamento multidisciplinar


Entenda como funciona e qual a importância do tratamento multidisciplinar no acompanhamento do paciente diante da luta contra o câncer.


Cirurgia oncológica segura: o que é preciso saber


De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer abrange mais de 100 tipos de manifestações distintas e que, em comum, apresentam o crescimento desordenado de células.

Diante da atuação no organismo, o câncer é capaz de invadir tecidos adjacentes referentes às lesões ou órgãos acometidos pela doença.

As células cancerígenas tendem a se multiplicar de forma desordenada e se caracterizam pela sua ação agressiva e incontrolável, o que desencadeia a formação de tumores.

Dentre os tratamentos do câncer, estão principalmente a quimioterapia, radioterapia, transplante de medula óssea e a cirurgia oncológica, sendo que todos esses meios podem ser combinados entre si para melhores resultados.

No entanto, em muitas situações, a cirurgia oncológica atua sozinha como um dos principais tratamentos para a maioria dos tumores, já que possibilita altas chances de remissão da doença.


Cirurgia oncológica para diagnóstico, tratamento e estadiamento do câncer


Embora para cada situação da doença a cirurgia possa ser bastante específica, de maneira geral, o princípio da cirurgia oncológica resume-se em remover o tumor primário e, quando possível, interromper completamente o desenvolvimento da doença.


Dessa forma, torna-se necessário obter os devidos cuidados para não deixar que o câncer se espalhe durante a operação, além de garantir que todos os locais possíveis para onde a doença possa se espalhar sejam também removidos, o que pode incluir outros órgãos e também linfonodos – as chamadas “ínguas”.

É importante considerar que a cirurgia oncológica atua não apenas no tratamento do câncer, mas também no diagnóstico e no estadiamento de quase todos os tumores sólidos.


Assim, a cirurgia oncológica proporciona finalidade curativa para o câncer, quando há diagnóstico precoce, ou função paliativa, quando o intuito é aliviar os sintomas consequentes de um tumor já agravado.



A escolha do tratamento do câncer


O momento de escolher a melhor forma de lidar com o câncer, após o diagnóstico, é de extrema importância para todo o resto do tratamento. Junto ao médico, o paciente deve considerar as melhores possibilidades para o seu caso, esclarecendo todas as questões ainda duvidosas.

Por isso, é fundamental garantir que o procedimento seja feito de maneira totalmente confiável, assegurada pela execução da operação por uma cirurgiã ou cirurgião oncológico experiente e que ofereça um atendimento especializado.

Para que o paciente se sinta seguro, é importante tirar todas as dúvidas com o profissional antes de seguir com o tratamento.

Assim como a importância de escolher um local seguro e um cirurgião ou cirurgiã competente, também é recomendável observar toda a equipe envolvida no tratamento.


Garantir a presença de uma equipe multidisciplinar


Tratar o câncer com um cirurgião oncológico é um grande diferencial no tratamento do câncer, já que o profissional traz consigo um aprofundado conhecimento sobre os tumores, no que diz respeito ao diagnóstico, tratamento e estadiamento da doença.


Mas além disso, o cirurgião oncológico estabelece todo o planejamento terapêutico e multidisciplinar das equipes envolvidas no tratamento individual de cada paciente, observando cada etapa e suas peculiaridades.


É por isso que a cirurgiã ou cirurgião oncológico não agem sozinhos, muito pelo contrário, fazem parte de(fazem parte de – nao seria melhor?)uma equipe extremamente qualificada.


Profissionais envolvidos no tratamento do câncer


Como vimos, é muito importante que diversos profissionais atuem tanto no planejamento, quanto na execução do tratamento e, consequentemente, no acompanhamento periódico do câncer.


A importância de uma equipe multidisciplinar se dá pelo fato de que o câncer é uma doença complexa e exige uma diversidade de conhecimentos envolvidos para obter os melhores resultados no prognóstico da doença, além de proporcionar melhor qualidade de vida ao paciente.


Por isso, uma equipe multidisciplinar completa para guiar o tratamento do câncer, deve contar com os profissionais das seguintes áreas:

  • enfermagem;

  • medicina;

  • odontologia;

  • psicologia;

  • nutrição;

  • fisioterapia;

  • fonoaudiologia e

  • serviço social.

Além disso, é muito importante oferecer suporte e assistência aos familiares do paciente, que precisam estar amparados para transmitir apoio durante o tratamento.


Obviamente que para cada caso, outros profissionais podem ser incluídos no acompanhamento da doença, mas a equipe citada anteriormente corresponde a uma formação básica para a transdisciplinaridade de um tratamento completo da doença.


FONTE:

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo