Buscar

#DezembroLaranja: Início do verão é um alerta para a prevenção do câncer de pele


Dezembro foi instituído como mês chave para as ações nacionais da Campanha de Prevenção ao Câncer de Pele, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Conhecido como #DezembroLaranja, a data marca a importância de reforçar o cuidado com a exposição excessiva ao sol e realizar a prevenção e o diagnóstico do câncer de pele. O alerta é para o ano todo, não apenas para o verão. Por isso, veja as dicas:


Câncer de Pele: O que é e como prevenir?

O câncer da pele responde por 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos. O tipo mais comum, o câncer da pele não melanoma, tem letalidade baixa, porém, seus números são muito altos. A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele.

O Câncer de pele apresenta sintomas?

O câncer da pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas. Assim, conhecer bem a pele e saber em quais regiões existem pintas, faz toda a diferença na hora de detectar qualquer irregularidade. Somente um exame clínico feito por um médico especializado ou uma biópsia podem diagnosticar o câncer da pele, mas é importante estar sempre atento(a) aos sinais que a pele dá.


Prevenção

As medidas de prevenção são simples e não exigem muito esforço do indivíduo. Evitar a exposição ao sol entre dez da manhã e quatro da tarde, usar diariamente protetor solar, boné, óculos escuros e roupas compridas também são medidas que podem ser essenciais para evitar o câncer. Pessoas com a pele mais clara, olhos claros, que já foram expostas aos raios ultravioletas em excesso, ou possuem casos na família são pré-dispostas a desenvolver a doença. No entanto, essas recomendações são para todas as pessoas, independente da cor da pele ou da região onde vive. Tratamento

Assim como outros tipos de câncer, as chances de cura são altas se o diagnóstico da doença for precoce. As várias formas de tratamento estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) e variam de acordo com o paciente e o tipo de tumor.


Fonte


0 comentário
  • Instagram

Criado orgulhosamente pela Incomum Comunicação

Receba a nossa newsletter