Buscar

Febre em adultos e crianças: quando procurar o médico?

Aumento da temperatura pode acompanhar sintomas que merecem investigação


O que vem à sua mente quando falamos sobre febre? É provável que você pense automaticamente em "doença", já que as duas palavras estão intimamente ligadas. Essa ideia não está totalmente incorreta: no caso de crianças, por exemplo, a febre costuma ser, na maioria dos casos, uma resposta do organismo a uma infecção benigna, não devendo ser motivo de preocupação ou ansiedade.


A febre, no geral, é um bom sinal: trata-se de um indício de que o nosso organismo está combatendo a infecção - e isso vale para crianças e adultos, igualmente. Também é importante ressaltar que nem todo aumento de temperatura significa febre: os serviços de emergência médica, por exemplo, consideram febre se a temperatura medida for maior do que 37,8ºC. Por isso, é fundamental encarar sem ansiedade ou desespero.


Mas afinal, a febre deve ser tratada ou não? Em primeiro lugar, devemos lembrar que a febre é um sintoma, e não uma doença. Por isso, o mais importante é investigar o que está por trás do aumento da temperatura corporal, como uma infecção, resposta do organismo à imunização ou até mesmo excesso de roupas e agasalhos, principalmente no caso de recém-nascidos.


Febre: quando procurar o médico?


Apesar da febre poder ter um efeito benéfico ao estimular mecanismos de defesa do organismo contra a infecção, é importante estar atento a alguns sinais de alerta. Eles podem indicar algo mais grave do que uma simples virose e devem ser avaliados pelo pediatra ou médico de confiança, que irá orientar um tratamento individualizado, a fim de combater a verdadeira causa por trás da febre.


Em relação a bebês e crianças, é importante consultar o médico imediatamente nos seguintes casos, de acordo com os sintomas apresentados:


  • Febre em criança com até três meses de vida

  • Febre igual ou maior que 39,4ºC

  • Febre que dura 3 dias ou mais

  • Sintomas de desidratação intensa

  • Febre recorrente

  • Choro inconsolável

  • Gemência

  • Letargia e apatia

  • Sonolência

  • Dor no peito ou dificuldade para respirar

  • Vômito, diarreia ou dor abdominal


Já no caso de adultos, vale a pena buscar auxílio médico se surgirem sintomas como:


  • Forte dor de cabeça

  • Erupções cutâneas

  • Sensibilidade à luz

  • Rigidez na nuca

  • Vômitos

  • Confusão mental

  • Dores abdominais e ao urinar

  • Dor no peito e ao respirar


Manejo da febre


Sabemos que lidar com a febre pode causar muita ansiedade e insegurança. Ainda assim, é fundamental manter o controle e investir em alguns cuidados que garantem mais conforto e bem-estar durante a apresentação do sintoma. A dica, segundo especialistas, é manter o ambiente ventilado, usar roupas leves e ingerir líquidos para compensar a desidratação causada pela febre ou doença em questão.


O antitérmico também pode ser oferecido nessas condições, como um método eficaz para diminuir a febre e aliviar o desconforto causado por ela. Outras iniciativas caseiras, como banhos frios e aplicação de compressas de álcool, não são recomendadas e podem trazer ainda mais mal-estar para aqueles que estão com febre. Se os sintomas não melhorarem, vá ao consultório médico mais próximo.




Fonte



  • Instagram

Criado orgulhosamente pela Incomum Comunicação

Receba a nossa newsletter