Buscar

Setembro amarelo: entenda o que é e faça parte do movimento


O mês de setembro vem acompanhado da cor amarela para alertar sobre a importância do cuidado com a saúde mental, prevenção ao suicídio e valorização da vida! Por isso, são realizadas diversas ações de conscientização e mobilização por profissionais, coletivos, empresas, entidades, órgãos de saúde e a sociedade em geral.

Nesse sentido, o mês é uma oportunidade especial de evidenciar a necessidade de falar sobre o suicídio e a saúde mental. Portanto, para saber mais sobre o movimento, confira o material a seguir e os links de apoio no fim do texto.


O que é o Setembro Amarelo?

Em primeiro lugar, o Setembro Amarelo é uma campanha fundada pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), em parceria com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e o Conselho Federal de Medicina (CFM), em 2015. Sendo assim, o mês busca trazer atenção especial para o diálogo e a conscientização da prevenção do suicídio, associando o mês ao dia Mundial da Prevenção do Suicídio (10 de setembro).

No mundo todo, são cerca de 800 mil suicídios por ano e estima-se que uma pessoa tire a própria vida a cada 40 segundos. Só no Brasil, anualmente são 12 mil mortes, sendo que o suicídio é a terceira causa de morte de jovens. Além disso, infelizmente, esse número tem aumentado!


Mesmo assim, o assunto ainda é um tabu: não falamos dele. Por um lado, a mídia evita por medo de aumentar os números, por outro as pessoas evitam por medo do assunto em si e, com isso, acabamos cortando o diálogo necessário para atuar na prevenção.

Porém reforçamos o alerta: falar sobre suicídio é extremamente necessário e é uma questão de saúde pública. Ainda mais porque a maior parte dos casos são mortes evitáveis em que a pessoa apresenta sinais de doenças/transtornos mentais que têm tratamento.


Sinais de alerta

Existe o mito de que a pessoa com pensamentos suicidas não dá sinais, mas isso não é verdade e aqueles próximos podem perceber. É extremamente raro que um suicídio ocorra sem sinais. Esta lista mostra alguns destes avisos, mas eles não devem ser considerados isoladamente.


Não existe uma maneira certa de se identificar alguém em uma crise suicida, mas detectar estes avisos pode ser a diferença entre a vida e a morte. Lembre-se de que, especialmente se muitos deles aparecerem ao mesmo tempo, você pode conversar com a pessoa sobre suicídio, o que pode ajudar.


Seja compreensivo (a). Estes indicadores não são ameaças ou chantagens, mas sim avisos. Portanto, converse com a pessoa e incentive a busca de ajuda profissional.


Fonte



0 comentário