Buscar

Vitamina E previne rugas e reduz risco de câncer; veja fontes do nutriente



Presente especialmente em folhas verde-escuras e oleaginosas, a vitamina E é um nutriente importante por sua ação antioxidante e anti-inflamatória, impedindo o envelhecimento precoce das células do corpo.


Essa ação protetiva previne o surgimento de rugas no rosto e reduz o risco de desenvolver doenças como câncer e Alzheimer. A seguir, saiba mais sobre o nutriente:


O que é a vitamina E?


Também chamada de tocoferol, a vitamina E é um nutriente lipossolúvel que tem como principal função a ação antioxidante.


O corpo humano não sintetiza a vitamina E, então é necessário que sua ingestão seja por meio da alimentação ou de suplementação.


Para que serve vitamina E?


Como tem função antioxidante, a principal função da vitamina E é proteger o organismo dos efeitos dos radicais livres, que, por sua vez, são os responsáveis por danificar as próprias células. Com o tempo, essas moléculas se acumulam e, por isso, envelhecemos.


A função antioxidante da vitamina E ajuda a proteger a membrana das células do corpo da ação dos radicais livres. Essa função vai auxiliar na prevenção do envelhecimento precoce das células — processo que, por sua vez, vai reduzir o risco do surgimento de doenças como câncer e Alzheimer.


A vitamina E ainda auxilia na modulação da arteriosclerose — fundamental para evitar problemas cardiovasculares, como infarto.


Também é importante para evitar o aparecimento da esteatose hepática (conhecida popularmente como gordura no fígado).


O que a deficiência de vitamina E pode causar?


A baixa absorção ou falta da vitamina E no organismo não é comum e pode ser provocada por algum distúrbio que impeça a boa absorção de gorduras.


A principal consequência da falta do nutriente é o envelhecimento precoce de todas as células do corpo. Isso pode provocar:


  • doenças neuromusculares (como Síndrome de Guillain-Barré, distrofias musculares, fraqueza);

  • problemas neurológicos;

  • anemia;

  • retinopatia (lesões não inflamatórias na retina);

  • diminuição da resposta imune do organismo;

  • queda de cabelo.


A deficiência de vitamina E ainda pode influenciar no desenvolvimento de doenças crônicas como câncer, problemas no sistemas cardiovascular e até Alzheimer.


Vitamina E é boa para cabelo e unhas?


Sim, mas não sozinha. A vitamina E auxilia na reparação e reconstrução dos tecidos. Junto com o selênio (outro nutriente importante para o funcionamento do organismo), ela é responsável por melhorar e fortalecer unhas e cabelo.


Quais alimentos possuem vitamina E?


Por ser lipossolúvel, a vitamina E é encontrada especialmente em óleos e gorduras. As principais fontes dela são: vegetais verde-escuros (espinafre, couve, rúcula, agrião); semente oleaginosas; óleos vegetais; gérmen de trigo. A vitamina E também está presente em alguns alimentos de origem animal, como fígado e ovo.


Qual a quantidade recomendada de vitamina E?


A recomendação atual é que sejam ingeridos 15 mg do nutriente todos os dias. No caso de suplementação como parte de um multivitamínico, a quantidade não deve passar dos 150 mg diários.


É importante lembrar que uma dieta rica em frutas e hortaliças, mas pobre em gorduras provavelmente não atingirá a quantidade mínima do nutriente — a menos que se incluam nozes e cereais para complementar a alimentação.


Fonte

0 comentário
  • Instagram

Criado orgulhosamente pela Incomum Comunicação

Receba a nossa newsletter